Alemanha faz teste nacional de sirenes de alerta pela primeira vez desde a Guerra Fria

0

Dezenas de milhares de sirenes soaram em toda a Alemanha no último dia 10 de setembro, pela primeira vez desde o fim da Guerra Fria. Foi um teste nacional com o objetivo de informar as pessoas sobre o que fazer em uma catástrofe e para checar a prontidão dos serviços de emergência.

 

De acordo com o site britânico The Guardian, os alarmes soaram às 11h (no horário local) e o sinal de liberação foi dado 20 minutos depois.

 

Esforços foram feitos com antecedência para preparar escolas, centros de assistência e abrigos para requerentes de asilo em meio a preocupações de que as sirenes poderiam causar pânico, ou mesmo traumatizar, idosos ou refugiados que poderiam associar o som à guerra.

 

“Temos uma população muito despreparada”, disse Christoph Unger, presidente do BKK, o escritório federal de proteção civil e socorro em desastres. “Não é como durante a Guerra Fria, quando você podia encontrar uma explicação para os sinais de alerta no verso das páginas amarelas.”

 

Além de testar o aparato técnico, o Warntag (Dia do Alerta), que agora será realizado todos os anos na segunda quinta-feira de setembro, visa a informar o público sobre o que fazer. Uma sirene que muda de tom sem interrupção é um aviso. Um único tom com duração de um minuto indica o fim de uma emergência.

 

O aviso também foi enviado por meio de notificações em smartphones, transmitido em alto-falantes de veículos que passavam por cidades e municípios e em mensagens exibidas em outdoors digitais. No entanto, embora a tecnologia tradicional tenha funcionado bem, muitas das notificações digitais não foram confiáveis.

 

Algumas mensagens não foram recebidas, a interrupção das transmissões não funcionou em todos os comprimentos de onda e a entrega de mensagens por meio de um aplicativo de aviso chamado Nina foi irregular.

 

No auge da Guerra Fria, havia cerca de 86 mil sirenes em toda a Alemanha. A maioria foi desmantelada durante a reunificação em 1991, mas ainda existem algumas na maioria das cidades. Em Berlim, a maioria dos sistemas de alarme foi desmontada nos últimos anos, depois que os moradores reclamaram do barulho. Algumas regiões, como Saxônia e Baviera, reativaram as sirenes após fortes enchentes em 2002.

 

“Estamos cientes de que em parte não funcionou”, disse uma porta-voz do BBK após o exercício. “Houve atrasos devido a uma sobrecarga do sistema de aviso modular.”

 

Ela disse que o BBK trabalhará na melhoria dos sistemas. Seu objetivo final era ser capaz de acionar todos os sistemas com o pressionar de um único botão na sede do BBK em Bonn e fornecer informações detalhadas por meio do aplicativo Nina, como rotas de evacuação.

 

O BBK disse que o alarme está disponível para uma série de emergências, desde acidentes bioquímicos a incêndios florestais, inundações, ataques terroristas e precipitações nucleares.

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.