Home Notícias Minas já registra quase 9 mil incêndios neste ano, 30% mais do que em 2018

Minas já registra quase 9 mil incêndios neste ano, 30% mais do que em 2018

0
0

Fonte: Hoje em Dia

O número de incêndios em vegetação em Minas Gerais, entre janeiro e julho de 2019, já supera em 31% as ocorrências do mesmo período do ano passado. Segundo dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros, foram 8.928 registros neste ano contra 6.806 de 2018.

Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, apesar de também ter havido aumento, a variação foi menor, chegando a 23%. E em BH, o crescimento foi de 6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Na segunda-feira (19), um incêndio destruiu 10 hectares de uma área de preservação na Serra São José, em Tiradentes, na região Central de Minas Gerais. Os militares que atuaram na ocorrência relataram que a linha de fogo chegou a 1km e que o fogo consumia árvores com copas de até 15 metros.

Segundo o tenente Warley Barbosa, do Batalhão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres do Corpo de Bombeiros, a causa dos incêndios é humana, o que varia é a condição climática no ano. “Umidade relativa do ar, temperatura e velocidade dos ventos são fatores preponderantes para a ocorrência de incêndios em vegetações, mas nada disso teria importância se não fosse a falta de educação ambiental”, declarou.

Os dados sobre a área total atingida só serão divulgados no balanço anual, segundo informou o militar, mas a tendência é de aumento já que o número de ocorrências foi bem maior do que o do ano passado.

Questionado sobre a tendência para os próximos anos, Barbosa afirmou que é de diminuição de ocorrências. Segundo ele, a vegetação funciona como combustível para o fogo e um ano não é suficiente para que ela se recupere para queimar na mesma proporção que antes. “Um ano que conseguimos conter as ocorrências, normalmente, precede um ano com muitos incêndios, porque a vegetação tem tempo para se recuperar”, afirmou.

Problemas

Mais do que o dano às reservas de florestas, as queimadas são prejudiciais à saúde. A fumaça e a fuligem, aliadas à baixa umidade do ar, podem aumentar a incidência de doenças respiratórias, principalmente em idosos, crianças e pessoas com histórico de problemas relacionados.

Os incêndios em áreas de vegetação também podem secar nascentes caso cheguem até elas.

Prevenção

O trabalho de prevenção do Corpo de Bombeiros, de acordo com o tenente Barbosa, está focado em educação ambiental em escolas. As instituições próximas a reservas ambientais, como a Serra do Rola Moça, Serra Verde e a Serra do Curral, são as principais escolhas dos militares para ensinar sobre a importância da preservação da natureza e do cuidado com ações potecialmente danosas ao meio ambiente.

“O Corpo de Bombeiros conta muito com a ajuda da população para evitar a ocorrência de incêndios em vegetação, porque o prejuízo não é só ao meio ambiente, os incêndios poluem o ar e podem trazer problemas respiratórios sérios a crianças, idosos e pessoas com histórico de doenças relacionadas”, alertou o militar, que ainda listou três atitudes básicas para a prevenção de incêndios:

1 – Evitar ações potencialmente incendiárias, como usar fogo para limpar pastagens e jogar ponta de cigarro pela janela do carro, por exemplo.

2 – Denunciar pessoas responsáveis por queimadas. A denúncia pode ser feita pelo 181 (denúncia anônima), 190 (Polícia Militar) ou pelo 193 (Corpo de Bombeiros).

3 – Acionar o Corpo de Bombeiros o mais rápido possível caso identifique incêndio pelo número 193.

Quem causa incêndios em vegetações pode pegar até 4 anos de prisão mais multa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *