Câmera térmica para combate a incêndio tem versão high-tech “mãos livres”

0

Tecnologia surgiu em 2008 e chegou ao Brasil em 2014, mas com equipamento manual

Os sistemas de combate a incêndios urbanos e florestais já vivem o futuro. A câmera de visão térmica integrada à máscara de respiração autônoma dispensa o uso das mãos e permite que bombeiros e brigadistas possam atuar com maior segurança no processo de debelar as chamas e salvar vidas.

Como lembra Rafael Gotola, executivo de Negócios (Fire) da 3M no Brasil, o sistema garante maior agilidade, praticidade e rapidez na tomada de decisão. “Quando a temperatura está alta, os profissionais tem coisas mais importantes a fazer do que ficar procurando pelo equipamento de que precisa”, analisa.

Com as informações do sistema em um pequeno monitor dentro da máscara, o bombeiro pode ter o reconhecimento da situação das chamas e de possíveis vítimas sem a necessidade de parar uma operação de busca ou ter que colocar mangueira e ferramentas no chão para manusear uma câmera térmica.

>> Tripulações de navios são preparadas para salvamento e combate a incêndios

>> Pesquisadores desenvolvem aparelho mais barato para combater incêndios na Amazônia

>> FIRE TALKS PODCAST | #1 – Games como educação profissional?

Como funciona

A câmera térmica permite “ver” através da fumaça e monitorar a propagação do fogo, podendo visualizar rapidamente o plano de ataque, localizar pontos quentes e salvar vidas. Ao visualizar a cena inteira de diversos pontos de vista, explica Gotola, os profissionais que estão à frente no combate ao fogo podem tomar decisões mais acertadas ao direcionar recursos disponíveis. “O sistema permite visualizar claramente as fontes de calor, sejam provenientes do fogo ou dos corpos das vítimas que precisam ser socorridas, tornando-se ferramentas importantes nas operações de busca e salvamento e em ações com materiais perigosos, além de fazer com que a atuação dos bombeiros ou brigadistas seja mais assertiva”, diz o executivo.

De acordo com Gotola, o equipamento oferece, além da imagem em meio a fumaça, dados sobre a temperatura do ambiente, indicando onde está mais quente. “Essa funcionalidade é mais exata numa distância entre cinco e 50 metros. Acima disso, o aparelho irá indicar uma temperatura aproximada.”

Desta forma, a câmera de visão térmica pode ser utilizada por brigadista em helicóptero no combate a incêndio florestal, auxiliando na detecção dos focos de incêndio, além de ajudar em operações de busca e salvamento de vítimas.

O custo de uma câmera de visão térmica integrada à máscara de respiração autônoma, segundo Gotola, está em R$ 22 mil, quase um terço do preço da câmera térmica manual, que custa atualmente R$ 60 mil. Atualmente os Corpos de Bombeiros de São Paulo, Distrito Federal, Goiás, Bahia e Ceará já contam com o equipamento.

Leave A Reply

Your email address will not be published.