Home Notícias Incêndios aumentam 60% em São Paulo durante a quarentena
0

Incêndios aumentam 60% em São Paulo durante a quarentena

0
0

Um levantamento realizado pelo Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo aponta que o índice de incêndios no mês de março aumentou em 60% quando comparado ao mesmo período do ano passado. São 4.089 ocorrências em 2020, contra 2.560 em 2019, e uma das causas apontadas é o aumento do uso irresponsável de álcool 70% e o aumento do tempo em casa, durante o isolamento social.

Mesmo com as cidades paradas, acidentes não deixam de existir. Segundo o site especializado Medical News Today, cansaço e preocupação influenciam diretamente no sono e estado de concentração, o que reduz a capacidade de funcionamento dos neurônios, causando lapsos cognitivos, ou seja, maior probabilidade de falta de atenção, podendo resultar em acidentes domésticos, como a utilização do álcool perto do fogão.

O uso dos sprinklers em residências ainda não é recorrido no Brasil. Mas em locais comerciais e espaços como clínicas e hospitais, é uma das principais soluções recomendadas para o combate do incêndio, já que pode detectar precocemente e controlar as chamas, até a chegada dos bombeiros, inibir a propagação de fumaça tóxica, permitindo um maior tempo de fuga, em segurança para as pessoas e para as edificações. Em casos de pequenos focos, muitas vezes a ação do sprinkler pode até apagar o fogo inicial.

Com o objetivo de atender as vítimas da COVID-19, estão sendo realizadas, em todo o país, reformas aceleradas para ampliações de hospitais e construção de hospitais de campanha. Mesmo com a agilidade que o momento pede, não podemos deixar de pensar no combate e prevenção de incêndios, principalmente pela aglomeração de pessoas nestes locais e deficiência nos serviços de brigada por conta da sobrecarga.

Mesmo que pareçam uma solução simples, os sprinklers são dispositivos efetivos e práticos que atuam na proteção de vidas e patrimônio, sendo forte aliado e decisivo no combate de incêndios. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Sprinklers (ABSpk), Felipe Melo, “O aprendizado que ficou diante de tantas tragédias deixa claro que é preciso fomentar o desenvolvimento de uma cultura de prevenção, a fim de proteger vidas e preservar patrimônios”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *