Pintura Epóxi Intumescente ganha espaço na Proteção Passiva Contra Fogo Hidrocarboneto

0

A utilização de revestimento cimentício para a proteção passiva contra fogo em Hidrocarboneto está sendo eliminada e substituída por Epóxi Intumescente. A conclusão é do coordenador de Desenvolvimento de Mercado de Proteção Passiva Contra Fogo Sherwin-Williams Brasil, Lucas Coelho, que falou sobre “A Evolução da Proteção Passiva Contra Fogo Hidrocarboneto – Novas Tecnologias em Produtos” durante webinar promovido pela Nace Brasil.

A pintura Epóxi Intumescente protege estruturas metálicas de um possível colapso em situação de incêndio, explica Coelho. “Ela proporciona mais tempo para que as pessoas saiam em segurança do ambiente e o Corpo de Bombeiros chegue para combater o fogo”.

Como exemplo, ele apresentou a aplicação da Firetex, tecnologia da Sherwin-Williams.  “É uma linha de proteção passiva contra fogo a base de hidrocarbonetos indicada para os mercados offshore e onshore, como refinarias e instalações químicas, podendo ser usada em cenários de fogo em poça (pool fire) e fogo e jato (jet fire)”, afirmou. “As instalações de petróleo, gás e produtos químicos, sejam elas em terra ou no mar, enfrentam diariamente um risco maior de danos estruturais e humanos por incêndio. A Firetex foi desenvolvida na tentativa de salvar vidas e bens nesses ambientes agressivos”.

De acordo com o coordenador, os produtos da linha funcionam com o calor: em contato com o fogo, começam a se expandir para que o aço seja protegido e não entre em colapso, dando mais tempo às pessoas para evacuarem o local, em caso de incêndio. “A Firetex oferece alta durabilidade e resistência a solventes e produtos químicos, flexibilidade, acabamento impermeável, resistência a explosão, aprovação UL 1709 e certificação de diversas organizações internacionais de classificação reconhecidas no mercado, entre elasLloyds Register of Shipping, ABS (American Bureau of Shipping), UL, DNV (Det Norske Veritas), Exova Warringtonfire e Norsok”.

“A Firetex reage ao entrar em contato com temperaturas superiores a 200°C, expandindo em mais de 50 vezes da sua espessura original, de modo a criar uma camada isolante sobre o metal”, explicou Coelho.

O especialista destacou também o novo revestimento intumescente, Firetex M90/03, que atende aos requisitos de teste UL 1709 proteção passiva contra fogo em unidades “onshore”, além de permitir que as partes interessadas apliquem espessuras variáveis de material em diferentes tamanhos de seção do aço. “Um produto que tem valor agregado maior, mas que tem expectativa de duração entre 20 e 25 anos e baixo custo de manutenção, além de possibilitar a redução no valor do seguro patrimonial, uma vez que oferece mais segurança”.

Leave A Reply

Your email address will not be published.