Home Notícias Muitos municípios tocantinenses não possuem brigadas para período de queimadas

Muitos municípios tocantinenses não possuem brigadas para período de queimadas

0
0

Fonte: Jornal do Tocantins

Dos 139 municípios tocantinenses, apenas quatro – Araguaína, Gurupi, Colinas e Paraíso do Tocantins – fizeram a contratação de brigadistas civis, profissionais qualificados por diversos órgãos para aturar no combate às queimadas. As outras 135 cidades estão sem o reforço desses profissionais. Mesmo as cidades apontadas pelos órgãos que compõem a força-tarefa de combate aos focos de calor daquele Estado como as que mais queimam até agora não montaram suas equipes próprias de brigadistas.

A cidade de Almas, no sudeste do Estado, conforme decreto do governo estadual, é um dos municípios do Tocantins com maior incidência de risco de desastre ambiental resultante de incêndios florestais. Mesmo tendo brigadistas qualificados e aptos para serem contratados, o município até agora não assinou nenhum contrato neste sentido.

Na lista oficial da força-tarefa, a Capital figura na relação dos municípios que não contrataram brigadistas, sendo uma das que apresentam número significativo de queimadas em áreas urbanas. Mas, segundo a Prefeitura de Palmas, já foi feita a contratação de 15 brigadistas para atuarem este ano.

Vale lembrar que segundo dados do Instituto Nacional de pesquisas Espaciais (INPE), o Tocantins já ocupa a terceira posição no ranking de queimadas, sendo registrados 1.185 focos de incêndios desde janeiro deste ano. Por enquanto, Mato Grosso e Roraima estão na frente. Tradicionalmente, setembro é historicamente o mês em que mais ocorrem queimadas e incêndios na região.

Conforme boletim da Defesa Civil, os municípios de Lagoa da Confusão, Mateiros e Formoso do Araguaia aparecem como as cidades com maiores focos de calor no Estado. Atrás delas vem Ponte Alta do Tocantins, Rio Sono, Goiatins, Lizarda, Pium, Santa Rita do Tocantins, Dueré e Palmas.

Decreto

Em um decreto de maio deste ano, o governo estadual estabelece que cabe à Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, ao Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e à Superintendência Estadual de Defesa Civil requisitar das entidades e dos órgãos do Poder Executivo o apoio técnico e logístico necessário à execução de medidas resultantes do decreto.

As medidas às quais o documento se refere são atuar em coordenação com os demais entes da administração pública na prevenção, controle e combate de incêndios florestais e contratar brigada temporária para atuar em ações de prevenção e combate a incêndios florestais nas áreas consideradas como de risco de desastre ambiental.

No documento também ressalta que cabe à Superintendência Estadual de Defesa Civil acompanhar a execução das ações de campo realizadas nos municípios.

Corpo de Bombeiros

O Corpo de Bombeiros informa que paralelo ao Dia “D” de Prevenção às Queimadas, o governo do Estado, através do Comitê Estadual de Combate a Incêndio Florestal e Controle de Queimadas no Estado do Tocantins (Comitê do Fogo), está articulando com os municípios tocantinenses para convencê-los a contratar suas brigadas para que a primeira resposta aos incêndios seja dada pelas próprias cidades.

A corporação destaca que em neste ano o governo contratou 50 brigadistas, que ficam distribuídos em Palmas (30) e Gurupi (20). Os brigadistas poderão deslocar-se para atender outras regiões, nos casos de grandes incêndios, mas as primeiras ações devem ser feitas pelo administrativo municipal de cada cidade. Até porque os brigadistas contratos pelo Estado tem como principais áreas de atuação os parques e áreas de preservação.

Brigadistas

O trabalho dos brigadistas começa a partir de 1º de agosto e segue até o final de outubro. Ao todo, o Estado está investindo R$ 750 mil, que são justificados pelo Palácio Araguaia para admissão dos brigadistas, capacitação, compra de equipamentos e proteção individual, além de salários e demais despesas na capacitação dos homens.

“A contratação desses brigadistas vem em uma hora importante porque o Estado está iniciando um trabalho de prevenção. Os brigadistas atuam de forma repreensiva e é uma parceria com a Cidadania e Justiça”, explica o subsecretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rubens Brito. A parceria a qual se refere o subsecretário é que a Secretaria de Cidadania e Justiça selecionou egressos do sistema prisional para atuarem como brigadistas, “São pessoas que estavam excluídas e precisam dessa inclusão no mercado de trabalho, onde vão fazer toda essa parte de apoio nos municípios ao entorno dos parques estaduais do Cantão e Jalapão e também próximo a Palmas”, completa Brito.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *