Black Jaguar Foundation planeja criar brigadas voluntárias de combate a incêndios florestais

0

Em julho deste ano a Black Jaguar Foundation coordenou, juntamente com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a formação de uma brigada voluntária contra incêndio florestal na cidade de Santana do Araguaia, no Pará. Uma iniciativa que deverá se estender para todos os municípios do que chama de Corredor de Biodiversidade do Araguaia, segundo Carol Sacramento, coordenadora do projeto.

A Black Jaguar foi criada há dez anos pelo holandês Ben Valks. O objetivo atual, de acordo com Carol, é plantar árvores nativas em larga escala para apoiar a criação do Corredor de Biodiversidade do Araguaia. “Com isso buscamos melhorar a vida de cada um de nós e das gerações futuras em nosso planeta”, explica.

No período de seca, que vai de maio a outubro no país, a instituição atuava, até este ano, para fazer aceiros para evitar que as áreas reflorestadas sofressem com os incêndios que ocorriam nessa época. “Mas no ano passado a situação foi bastante grave e nos aproximamos de algumas brigadas que combatiam o fogo e percebemos a importância delas”, lembra Carol.

Neste ano, a fundação decidiu agir preventivamente, como lembra Carol. “Detectamos a carência de um grupamento de brigadistas em Santana do Araguaia e, em parceria com a SEMA, levamos em frente o projeto de criar a Brigada de Combate a Incêndios Florestais do município”.

Com a responsabilidade de fazer o planejamento, a captação de recursos e a contratação de recursos, a Black Jaguar chegou à Brigada 1 de Belo Horizonte (MG) que enviou ao Pará o brigadista Anderson Freitas para dar o curso. “A SEMA ficará com a conscientização, manutenção e coordenação”, explica Carol.

Foram treinados 30 brigadistas voluntários, que atuarão no combate aos focos de incêndio da região durante este ano. Mas Carol tem consciência de que este é apenas o primeiro passo. “Hoje sabemos que os brigadistas terão que passar por cursos permanentes para ficarem atualizados”.

A fundação também já planeja criar Brigadas de Combate a Incêndios em outros locais. “Não vamos parar por aqui. “Para prevenção e combate, as brigadas de incêndio locais precisam ser treinadas nas áreas próximas aos nossos locais de restauração para os próximos milhões de árvores nativas”, afirma. “A Black Jaguar doou o curso de capacitação para a formação da brigada de incêndio em Santana do Araguaia (PA), que agora vai certificar os voluntários no gerenciamento de equipamentos de combate a incêndio. As brigadas de incêndio serão administradas com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente, dos produtores rurais, e das comunidades locais”, garante.

Quem é a Black Jaguar Foundation?

Black Jaguar Foundation é um dos maiores projetos de restauração ecológica do mundo, unindo Cerrado e Amazônia no centro do Brasil. Os corredores de biodiversidade, ou corredores de natureza, consistem em faixas de áreas reflorestadas que se conectam a “ilhas” isoladas de natureza virgem e intocada.

De acordo com Carol, o Corredor de Biodiversidade do Araguaia no centro do Brasil será o maior corredor de natureza no mundo e um dos maiores projetos de reflorestamento da América do Sul. E as suas dimensões são impressionantes. São 2,6 mil quilômetros de comprimento por 40 quilômetros de largura distribuídos ao longo das margens de todo o Rio Araguaia e de parte do Rio Tocantins. O Corredor também conecta dois dos mais importantes ecossistemas do mundo: a floresta Amazônica e o Cerrado.

“No caso do Cerrado, mais de 70% de seu habitat natural já foi desmatado para fins agrícolas. O Corredor irá conectar os 30% de “bolsões de floresta nativa” que restam uns com os outros” afirma Carol. “Ele salvará milhares de espécies e consolidará um esforço massivo de reflorestamento, convertendo parte das terras agriculturáveis em florestas nativas da Amazônia e do Cerrado”.

A previsão é plantar 1,7 bilhão de árvores nativas em cerca de 10,4 milhões de hectares.

Deixe uma Resposta

Seu comentário aguarda moderação.