Novas normas para saídas de emergência deverão levar em conta perfil dos ocupantes

0

Em 2020, foram registrados mais de 50 incêndios em hospitais, segundo dados da Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar (ABDEH). Esse número torna a atual revisão da ABNT NBR 9077, que estabelece padrões de segurança para as saídas e escadas de emergência, ainda mais importante e urgente.

Essa revisão foi tema de palestra no Seminário Internacional de Proteção Passiva Contra Incêndio (SIPP), realizado, online, em dois dias: 11 e 18 de agosto. Adriana Levisky, sócia titular da Levisky Arquitetos, falou no dia 18 sobre projetos de saídas de emergência e as mudanças que a nova NBR 9077 deve abarcar e impor.

Segundo Levisky, a revisão deve levar em conta normas e regulamentações existentes em outros países e compatibilizá-las com a realidade local. Deve partir da premissa, ainda, que os riscos e os danos provocados por incêndios não podem ser completamente eliminados, mas, através de medidas de proteção, podem ser minimizados, tanto em termos de probabilidade quanto de eventuais consequências aos ocupantes.

“As normas não se concentrarão somente em quesitos construtivos, mas vão considerar também o perfil de risco à vida – tão presente em hospitais. Isso engloba as características dos ocupantes, como mobilidade e capacidade de orientação, e a velocidade de crescimento do fogo, que impacta nas estratégias de abandono, e de salvamento e resgate”, afirma Levisky.

Dentro desse contexto, segundo a especialista, os novos projetos – tanto de novos empreendimentos como de reformas – terão de harmonizar impasses entre normas, instruções técnicas e legislação, bem como entre construtores, operadores e usuários.

Deixe uma Resposta

Seu comentário aguarda moderação.